O fim Boeing 737-200 da ATA Brasil em SBFZ

Chegou ao fim, no ano de 2017, a história do Boeing 737-200 da ATA Brasil em SFBZ, onde havia-se uma grande expectativa do mesmo poder ser restaurado e até mesmo sair voando daqui, mas o tempo foi extremamente duro com a aeronave, e da mesma somente será aproveitado para exposição, os motores e o painel que até então permaneceram intactos, como toda a aeronave.

O referido avião voou por todo o mundo pelas companhias, Aer Lingus, Alitalia, Lan Chile, Ladeco Airlines, LAN Express e por fim na ATA Brasil.

Seguem algumas imagens mostrando a história deste belo pássaro de ferro.

Boeing 737-248C sendo operado pela “Aer Lingus” no ano de 1989 em Paris – Charles de Gaulle – LFPG

Boeing 737-248C sendo operado pela “Alitalia Cargo” com o esquema básico de cores da Air Lingus no ano de 1992 em Frankfurt Rhein-Main Int’l Airport – EDDF

Logo após a aeronave chegou a operar na América do Sul começando pela Lan Chile.

Boeing 737-248C sendo operado pela “Lan Chile” no ano de 1995 em Dublin – EIDW

Logo após o Boeing 737-248C foi arrendado pela Lan Chile sendo operado pela “Ladeco Cargo ” em dezembro de 1998 onde permaneceu com a matricula antes da Lan Chile ( CC-CEI ) até 2001. Local da Foto: Santiago – Arturo Merino Benitez

E por fim, no ano de 2003, o mesmo foi arrendado pela “European Capital Corporation” onde começou a operar no Brasil pela ATA Brasil e até chegou a ser pintado, mas nunca voou pela companhia. Desde 2004, o mesmo esteve estacionado aqui no aeroporto de Fortaleza, antes próximo a nova Torre de Controle.

A ATA Brasil (Atlântico Transporte Aéreo), foi uma empresa que durou pouco. Inaugurou seus voos em junho de 2004, com aeronaves Boeing 727-200F para cargas e Boeing 737-200, para passageiros. Além de voos regulares, cargueiros e de passageiros, a empresa realizava voos charter e em poucos meses de operação, a empresa parou de voar.

A empresa curiosamente adotou uma pintura idêntica a da FlyJet (companhia inglesa).

Esquema de cores adotado pela ATA Brasil era semelhante a da FlyJet.

Com o passar dos anos, a aeronave passou a ficar estacionada no “Cemitério de Aviões” de SBFZ, onde esteve abandonada pela ATA Brasil e gerou muitos custos, até a mesma ir a leilão.

Por último, a aeronave foi aberta a exposição ao público em geral, no “Portões Abertos 2016” da CIOPAER, na ocasião pode ser feitas fotos em detalhes, do LSW, em SBFZ, durante o evento.
Os importantíssimos registros são da Spotter Janna Andrade .

O evento “Portões Abertos” foi praticamente um adeus ao lendário Boeing 737-200, onde poucos meses depois, no começo de 2017, o mesmo começou a ser desmontado, e como foi dito no começo da matéria, somente o painel e motores serão aproveitados para exposição e alguns itens foram doados para uma escola de aviação, em Fortaleza, onde poderão ser usados para auxiliar na formação de pilotos e comissários.

O Boeing foi removido em pedaços, após ser arrematado em um leilão promovido pelo Tribunal Regional do Trabalho do Ceará (TRT/CE) por uma companhia de táxi aéreo do Paraná, e durante o seu transporte para a cidade de Foz do Iguaçu (PR), a sucata do avião foi apreendida pela Polícia Rodoviária Federal na BR-020, no Ceará. A PRF confirmou que a sucata tinha mesmo sido arrematada em um leilão e que agora pertencia a propriedade de uma companhia de táxi aéreo do Paraná.

Após alguns dias a aeronave segue viagem ao seu destino final no Paraná.

E assim, chegou o fim do B732 da ATA Brasil que voou o mundo e foi vitima do tempo e de maus administradores que a trouxeram para o Brasil, pena que a aeronave não teve um fim como muitos aqui em Fortaleza desejavam, mas ficamos felizes que algo dela ainda será aproveitado para auxiliar pilotos e comissários assim como algumas peças para exposição. Menos mal…

Texto e pesquisa: Thiago Cascais
Fotos: Janna Andrade, Marcus Paulo Caput, Alessandro Barbosa, Paulo Roberto
Pesquisa: Airliners, JetPhotos, Pilotodeaviao.com, Wikipedia, Aviação Comercial, ATA Brasil Virtual

Um comentário em “O fim Boeing 737-200 da ATA Brasil em SBFZ

  1. Karl Responder

    Trabalhei duro montando a empresa – comecando no escritório em minha residencia em Fortaleza. Plano de negócios, manuais diversos e documentação regulatória. Na verdade, chegou a operar com equilibrio financeiro em 2004 – mas depois houve uma “guinada” de objetivo pelos proprietários baseado em conselhos sem fundamentos por certos aventureiros. A partir disso, a empresa foi realmente mancando até o momento que fechou as portas. Sobre a pintura/livery ATA e FlyJet – é porque os donos eram as mesmas pessoas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

39 + = 49